Mudar o nome do Viaduto do Chá??

Fiquei estarrecida ao ler matéria do Metrô News de hoje, dizendo que os vereadores paulistanos pretendem mudar o nome do Viaduto do Chá e da Rua Oriente.
Independentemente das pessoas a que se pretendem homenagear (o viaduto passaria a ter o nome de Mario Covas Jr., extremamente honroso), não consigo concordar com essa iniciativa.
É notória a quantidade de projetos de lei que os senhores vereadores aprovam todos os anos alterando nome de vias públicas já nominadas, causando confusão. Isso, sem contar o dispêndio dos cofres públicos para confecção de novas placas, novos mapas e guias, obrigando empresas a mudarem seus procedimentos. Imaginem a Sabesp, Eletropaulo, empresas de telefonia, de gás etc. alterando endereços a cada alteração proposta pelo Legislativo. Um absurdo.
Arnaldo Madeira, quando vereador, na década de 1980, aprovou uma Lei (depois revogada) que estabelecia como critério para alteração de endereços, por exemplo, nomes de difícil grafia, ruas interrompidas por barreiras naturais ou não (rios, viadutos...), ou arruamento de novos loteamentos.
Mas, isso deve ter restringido a ação das nobres homenagens que os vereadores vivem prestando. Volto a dizer, um absurdo!

Foto G1.globo.com
Sobre o Viaduto do Chá
Com 120 anos de idade e um dos principais cartões postais da cidade, foi o primeiro viaduto construído ainda na "cidadezinha" de São Paulo, em 1888. Houve uma tremenda briga na cidade para sua construção, pois implicava na demolição da mansão do Barão de Tatuí, que de lá não queria sair. Mas, era uma obra necessária. A população tinha que atravessar o rio Anhangabaú para dirigir-se da Rua do Chá (hoje Rua Barão de Itapetininga) para a Rua Direita, na outra margem. Então, os que eram favoráveis ao viaduto armaram-se de picaretas e atacaram a casa do Barão, obrigando-o a sair.
Entre a ideia da construção do viaduto (1877), a demolição da casa do Barão de Tatuí (1889), o início das obras (1888) e a inauguração (1892), decorreram 15 anos.
Quinze anos mais tarde, após algumas interrupções, foi inaugurado o Viaduto construído com uma estrutura metálica vinda da Alemanha. Houve grande festa (foto acima), interrompida por uma forte chuva.
O nome do viaduto que hoje pretendem mudar derivou do Morro do Chá, na encosta da atual Rua Xavier de Toledo e do Teatro Municipal, onde ficava a chácara em que o Barão de Tatuí cultivava chá.  

Em 1938, com o crescimento da cidade, o viaduto precisou ser reformado radicalmente. Um novo viaduto, duas vezes mais largo, construído em cimento armado deu lugar ao velho Chá idealizado por Jules de Martin, um francês de alma paulistana.

Curiosidades
  • "Bendito sejas, Viaduto Paulista! Sem tu não poderia eu passar desta para a melhor, embalado pela brisa que te circunda. Adeus! Até para a eternidade és o passadiço de útil eficiência! Bendito sejas, Viaduto querido, adeus!". Este foi um bilhete endereçado ao Viaduto do Chá, encontrado no bolso de um homem que estava morto, embaixo do próprio viaduto na década de 30.
  • O Chá também era conhecido como "Viaduto dos Três Vinténs", já que até 1897 eram cobrados 60 réis --ou três vinténs-- por pessoa de pedágio.
  • O viaduto recebeu o nome de Chá porque na região havia uma vasta plantação de chá da Índia.
  • Na última restauração do viaduto, no ano 2000, foram recuperados postes, grades e calçadas. Aperfeiçoou-se o sistema de drenagem e impermeabilização do leito para a instalação de semáforos inteligentes, além da instalação de nova iluminação.

E você?
Concorda em mudar o nome do Viaduto do Chá há mais de um século gravado na memória de Sampa?

Fontes:

Comentários

Dilze Lima disse…
Recebi vários comentários no e-mail do COISASDESP.
Gostaria de postar aqui um deles, pois é de esclarecimento público.

"Tens absoluta razão. Texto bem articulado. Parabéns. O PL já foi arquivado."
Vereador Floriano Pesaro.

Obrigada pela informação, vereador. Adorei a notícia. O velho Viaduto não perderá sua identidade.

Postagens mais visitadas deste blog

Penha de França: o bairro mais antigo

Cidade Compacta - o que é isso?

SP 2040, Visão e Plano de Longo Prazo para Sampa