Estradas de Ferro Paulistas: CPTM - 23 anos

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos nasceu em 28 de maio de 1992, substituindo a Companhia Brasileira de Trens Urbanos – CBTU na operação dos trens da Região Metropolitana de São Paulo e a Malha Paulista operada pela Ferrovia Paulista S/A – FEPASA (recém desestatizada), com o objetivo de assegurar a continuidade e a melhoria dos serviços.

Como era a CPTM


Na época de sua criação, era comum vermos nos noticiários ou mesmo passado ao lado das linhas, os chamados “surfistas” e “pingentes”  de trem”. E mais comum, ainda, observarmos usuários pulando nas vias, vagões rodando com as portas abertas e completamente depredadas. Os intervalos de trens nos horários de pico chegavam a 20 minutos. A frota de trens herdada encontrava-se deteriorada.


A CPTM passa a operar efetivamente as atuais Linhas 7, 10, 11 e 12, em abril de 1994. Transportava-se, nessa época, cerca de 900 mil usuários/dia.  Esse quadro deu origem ao Primeiro Programa de Modernização das Composições, envolvendo mais de 500 carros.

Em 1996, a CPTM assumiu também as linhas da FEPASA  (atuais Linhas 8 e 9) e, em 1998, teve início as obras de dinamização da Linha C (atual Linha 9), com o Projeto Sul de Trens Metropolitanos.

Início das mudanças

Dois anos depois, em 1998, começaram a operar 48 trens (três carros) totalmente reformados, vindos da Espanha, inicialmente na Linha E (hoje Linha 11) e depois nas Linhas C e D (atuais 9 e 10).

Foto: Blog CPTM em Foco

O ano 2.000 é marcado com o início da operação do Expresso Leste, com novos trens equipados com ar-condicionado, bancos anatômicos e música ambiente.

Foram entregues à população paulistana da Zona Leste quatro novas e modernas estações na Zona Leste e seis estações na Zona Sul: Corinthians-Itaquera, Dom Bosco, José Bonifácio e Guaianases; e no Projeto Sul: Socorro, Granja Julieta, Hebraica-Rebouças, Berrini, Morumbi, Cidade Jardim na Linha C (atual Linha 9).

Expresso Leste

Em 2001, implantou-se o Projeto Integração Centro abrangendo as estações Brás. Luz e barra Funda, num trecho de 7 km, facilitando o acesso ao eixo central da cidade. A média/dia de usuários transportados era de 1 milhão de pessoas.

O Projeto Sul continua e nessa nova fase realizaram-se melhorias ao longo dos 24 km da Linha C (Linha 9) e entrou em operação da nova estação Vila Olímpia. Teve início a operação da Linha 5 – Lilás do Metrô, que foi construída pela CPTM, com 9,4 km de extensão (7km deles em vias elevadas, 800 m de vias subterrâneas e 1,6 km de vias de superfície).

O Expresso Leste, em 2003, que chegava apenas até o terminal Brás, passou a circular até a Luz. E foi implantado um sistema de monitoramento com 802 câmeras nas 83 estações, ajudando a auxiliar a redução de ocorrências e a solução de casos policiais.

O ano de 2004 trouxe para Sampa a Integração na Luz, gratuita, beneficiando os usuários do Metrô e da CPTM e a modernização das estações Osasco, Presidente Altino e Jurubatuba.

2005 foi marcado:

- pela implantação do Bilhete Único, em parceria com o Município de São Paulo, começando pelas Linhas 9 da CPTM e 2-Verde do Metrô;

- pelo início da construção das estações Jardim Helena, Jardim Romano e USP Leste (Linha F, atual 12), Autódromo, Interlagos e Grajaú (Linha C, atual 9);

- pela informatização das 83 estações e inauguração do novo Centro de Controle Operacional – CCO, na estação Brás, que unificou o controle das seis linhas operadas pela companhia.

A CPTM, em 2007, alcança a marca de 1,6 milhão de passageiros/dia, o dobro da média de 1999. O intervalo de trens diminui nos horários de pico para seis minutos, nas Linhas 9 e 11. Inicia-se a adoção do serviço de Bicicletários, com a revitalização dos espaços já existentes e construção de novas áreas e o projeto Ciclista Cidadão, permitindo o acesso de bicicletas nos trens aos finais de semana e feriados.


Em 2008, as linhas da CPTM passaram a operar com novos nomes, por decisão do Governo do Estado para a rede metroferroviária. Assim, a Linha A virou Linha 7 Rubi; a Linha B passou a ser Linha 8 Diamante, a Linha C se tornou Linha 9 Esmeralda; a Linha D virou Linha 10 Turquesa, a Linha E passou a ser chamada Linha 11 Coral; e a Linha F se tornou Linha 12 Safira.

Ainda em 2008, foram inauguradas as estações USP-Leste, Comendador Ermelino, Jardim Romano (Linha 12 – Safira), Primavera-Interlagos e Grajaú (Linha 9), com acessibilidade irrestrita, bicicletários, banheiros exclusivos e sistema automático de mensagens ao público. As estações Autódromo e Jurubatuba (Linha 9) foram as primeiras a receberem assentos preferenciais exclusivos para pessoas obesas (em atendimento a lei estadual).

De lá para cá, muitos outros benefícios foram incorporados à rede como o recebimento de novos trens; reconstrução de diversas estações ( CEASA, Villa-Lobos-Jaguaré, Cidade Universitária (Linha 9), Itapevi, Engenheiro Cardoso (Linha 8), Calmon Viana (Linha 12) e Tamanduateí (Linha 10). Obras em andamento nas estações Franco da Rocha, Francisco Morato (Linha 7), Barueri, Carapicuíba, Jandira (Linha 8), São Miguel Paulista (Linha 12), Ferraz de Vasconcelos e Suzano (Linha11).

E mais, a implantação de ciclovias ao longo dos trilhos (exemplo: Rio Pinheiros, para ser entregue à população a ciclovia Jurubatuba); implantação do Expresso Turístico para Paranapiacaba nos finais de semana, a operação especial para o Autódromo Interlagos nos períodos de GP Brasil de Fórmula 1, operação especial ao estádio do Corinthians em jogos realizados a noite, operação especial para o Loolapalooza (Trem do Rock), etc.

Em 11 de novembro de 2011, novo recorde operacional foi atingido com o transporte de 2.686.220 passageiros. De lá para cá, destacam-se: 31 novos trens, reconstrução das estações Barueri e Carapicuiba; novas subestações de energia; novas passarelas para facilitar acessos; implementação do Programa Obra Limpa, que busca a sustentabilidade e responsabilidade na Gestão Ambiental de obras; monitoramento de obras através do sistema de captação de imagens em tempo para monitoramento; recebimento de novas máquinas, com tecnologia de ponta, para execução de manutenção em via permanente e da rede aérea, possibilitando melhoria no desempenho da manutenção e ganho de qualidade nos serviços executados.

Foi, ainda, lançado o cartão BOM (Bilhete do Ônibus Metropolitano); realizado convênio de integração tarifária entre a CPTM e a Prefeitura Municipal de Jandira. Iniciaram-se a reconstrução de diversas estações (exemplo: Vila Aurora e São Miguel) e outras que se encontram em andamento, como Ferraz de Vasconcelos, Suzano e mais outras oito em diversas Linhas.

Nos 24 bicicletários instalados nas estações da Companhia, atingiu-se a marca de 6.400 vagas. Trinta e oito estações da rede foram adequadas a acessibilidade – processo ainda em andamento para atingir toda a rede. E foram instaladas 1.203 lixeiras para coleta seletiva nas 90 estações.

O transporte sobre trilhos em São Paulo ainda precisa melhorar mais para acompanhar o crescimento desta cidade. No entanto, nesses 23 anos de sua existência muito foi feito. Dos pingentes ao transporte com ar-condicionado,  portas fechadas, trens limpos e seguros, é inegável a melhoria de qualidade. 

Comentários

QUE DESCEPÇAO QUANDO ENTREI NO PRIMEIRO CARRO DO TREM QUE TODOS DIZEM SER SO DO IDOSO, POREM QUANDO CHEGA NA BARRA FUNDA , O CARRO ESTA CHEIO DE ESTUDANTES E PESSOAS QUE NAO SAO IDOSAS O VAGAO VEM LOTADO DE JULIO PRESTES. SE ELE E PARA IDOSO DEVERIA VIR SO COM IDOSO E UM GUARDA DA CPTM DENTRO DELE COM A PORTA DO MEIO FEICHADA PARA NINGUEM PASSAR .DEVERIA SER SO PARA OS IDOSOS.O CARRO DEVERIAQ VIR ATE COM OS BANCOS SO PARA IDOSOS TODO CINZA . ASSIM QUEM SABE AS PESSOA SENTERIAM VERGONHA DE SENTAR E ATE DE ENTRAR NO PRIMEIRO CARRO QUE DIZ {SO IDOSOS}. SR PRESIDENTE DA CPTM SE DE AO RESPEITO E FASSA VALER O QUE VOCE FALA . SEM MAIS UMA IDOSA QUE OPERADA DAS VARIZES TEVE QUE IR EM PE ATE A SUA CIDADE POIS ACREDITOU NO CARRO SO PARA IDOSO MAS QUE DESCEPÇAO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Dilze Lima disse…
Sra. Irani,

Mandei sua manifestação para a CPTM. A Ouvidoria da empresa esclareceu que não há vagão específico para idosos e sim, prioridade de embarque para eles. Infelizmente, nem todos os cidadãos respeitam os direitos que foram duramente adquiridos pelo idoso, pelas pessoas com mobilidade reduzida, mulheres grávidas ou com crianças de colo, etc. Segue a resposta da CPTM:

"EM RELAÇÃO À MANIFESTAÇÃO REGISTRADA, A CPTM ESCLARECE QUE DURANTE OS HORÁRIOS DE PICO DA MANHÃ E DA TARDE REALIZA, NAS ESTAÇÕES DE MAIOR MOVIMENTO, UMA OPERAÇÃO CHAMADA "EMBARQUE PREFERENCIAL". A AÇÃO CONSISTE NO ISOLAMENTO DAS PLATAFORMAS NA REGIÃO DO PRIMEIRO CARRO PARA QUE O ACESSO A ESSA ÁREA SEJA RESTRITO A IDOSOS, GESTANTES, PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, COM CRIANÇAS E SEUS ACOMPANHANTES. CABE ESCLARECER QUE APÓS O EMBARQUE DAS PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS, O ACESSO TAMBÉM É LIBERADO PARA OS DEMAIS USUÁRIOS, POIS O PROCEDIMENTO VISA PROPORCIONAR UM EMBARQUE MAIS CONFORTÁVEL E SEGURO E NÃO A EXCLUSIVIDADE DO CARRO, MESMO PORQUE ALGUNS MODELOS DE TRENS SÃO ABERTOS, PERMITINDO O TRÂNSITO INTERNO.

ASSIM, ESCLARECEMOS QUE NÃO HÁ UM CARRO EXCLUSIVO PARA IDOSOS, MAS UMA OPERAÇÃO PARA TORNAR O EMBARQUE MAIS SEGURO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA OU MOBILIDADE REDUZIDA. RESSALTAMOS AINDA QUE MEDIANTE NECESSIDADE DE AUXÍLIO PARA EMBARCAR OS USUÁRIOS PODEM ACIONAR OS EMPREGADOS DAS ESTAÇÕES."

ATENCIOSAMENTE,
OUVIDORIA DA
COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS
RUA BOA VISTA 162 5º ANDAR
01014 001 SÃO PAULO SP
TEL: 11 3117-7094 / FAX: 11 3117-7448
OUVIDORIA@CPTM.SP.GOV.BR
WWW.CPTM.SP.GOV.BR

Postagens mais visitadas deste blog

Penha de França: o bairro mais antigo

Cidade Compacta - o que é isso?

SP 2040, Visão e Plano de Longo Prazo para Sampa